O Movimento Sacerdotal Mariano

 
Meninas, convidamos vocês a conhecer um pouco sobre o Movimento Sacerdotal Mariano: Existe hoje na Igreja, muitos grupos e movimentos de espiritualidade Mariana. O Movimento Sacerdotal Mariano (MSM) é um deles, e sua história de origem e desenvolvimento tem a marca da ternura característica de Nossa Mãezinha, sempre doce e sutil nas suas mensagens à humanidade pecadora. O MSM é uma pequena semente plantada por Nossa Senhora no jardim da Santa Igreja. Em pouco tempo tornou-se árvore frutuosa e estendeu os seus ramos à todas as partes do mundo. Obra de amor, em que o Coração Imaculado de Maria faz surgir para ajudar seus filhos a viverem na confiança e esperança filial os momentos dolorosos da purificação. Nestes tempos de graves perigos, a Mãe de Deus e da Igreja sempre firme e incansável apressa-se em ajudar, sobretudo os Sacerdotes, seus filhos prediletos. 
A 8 de Maio de 1972, o Pe. Stefano Gobbi participa de uma peregrinação à Fátima e na Capelinha das Aparições põe-se a rezar por alguns Sacerdotes, que para além de traírem a própria vocação, tentam formar associações rebeldes à autoridade da Igreja.Interiormente, uma força o impele a confiar em Maria. Servindo-se dele, como de um humilde e pobre instrumento, Nossa Senhora acolherá todos os Sacerdotes que aceitarem o convite para se consagrarem ao seu Coração Imaculado, para permanecerem fortemente ligados ao Papa e à Igreja a ele unida e conduzirem os fiéis ao seguro refúgio de seu Coração Materno. Formar-se-ia, assim, um poderoso exército, difundido por todas as partes do mundo e reunido, não com meios humanos de propaganda, mas com a força sobrenatural que brota do silêncio, da oração, do sofrimento e da fidelidade constante aos próprios deveres. Pe. Gobbi pediu, interiormente, a Nossa Senhora, um pequeno sinal de confirmação e Ela, antes do fim daquele mesmo mês, pontualmente lho deu em Nazaré, no Santuário da Anunciação.  Origina-se, então, o Movimento Sacerdotal Mariano desta simples e interior inspiração que, em Fátima, o Pe. Stefano Gobbi teve em oração. Mas, como se concretizaria isto? Em outubro do mesmo ano, tentou-se um tímido encaminhamento, com um encontro de oração e amizade entre três Sacerdotes na paróquia de Gera Lario (diocesede Como): deu-se notícia deste Movimento em alguns jornais e revistas católicas.  Em março de 1973 eram cerca de quarenta os sacerdotes inscritos. Em setembro do mesmo ano, dos oitenta padres já inscritos, 25 participaram no primeiro encontro nacional em São Vitorino, próximo de Roma. Em 1974 iniciaram-se os primeiros Cenáculos de oração e fraternidade entre os Sacerdotes e fiéis; progressivamente, difundiram-se na Europa e em todas as partes do mundo. Até ao final de 1990, o Pe. Stefano Gobbi visitou várias vezes os cinco continentes, para presidir aos Cenáculos regionais, completando 600 voos de avião além de numerosas viagens de carro e comboio.  Fez 1.446 Cenáculos, dos quais 693 na Europa, 485 na América, 97 na África, 91 na Ásia e 80 na Oceania. Isto constitui uma prova da admirável difusão do Movimento por todo mundo, durante estes anos. Difusão O Movimento Sacerdotal Mariano tem-se difundido de uma maneira silenciosa e extraordinária. Em quase todas as nações da Europa, América, Ásia, África e Oceania, há responsáveis nacionais encarregados de recolher as adesões, organizar e acompanhar os Cenáculos. A eles também é confiada a nomeação dos vários responsáveis regionais e diocesanos, cuidando que tudo se realize com a maior fidelidade ao Espírito do Movimento. Face à autonomia que se dá aos Centros Nacionais, não é fácil levantar uma estatística precisa. Isto, porém, não é de grande importância, pois estamos diante de “um espírito” que foge aos controles externos e se realiza na medida em que cada Sacerdote que aderiu ao Movimento procura viver todos os dias a sua consagração a Maria. Pelas poucas de inscrição recebidas, os que aderiram seriam agora, cerca de 500 Bispos, mais de 100,000 Sacerdotes do clero diocesano e de todas as Ordens e Congregações religiosas.  Para os leigos, não havendo uma inscrição propriamente dita, não se pode avaliar o seu número nem mesmo aproximado, ainda que com certeza se trate de milhões. É gratificante também constatar a existência de uma longa lista de sacerdotes simpatizantes, que não se inscreveram ainda no Movimento, mas demonstram a sua solidariedade de vários modos e em várias ocasiões. O seu número é, talvez, superior ao dos inscritos. Se vivem o espírito do Movimento, mesmo que seus nomes não figurem nos elencos, realizam o que nele há de essencial. E como, quase sem perceberem, tornaram-se uma falange numerosa, muitos Sacerdotes não conhecem ainda os confrades seus vizinhos, pertencentes ao Movimento. Isto acontece não só nas regiões, onde o MSM está apenas a começar, mas também noutros lugares. A razão deste facto deve-se à escassa organização de que se dispõe e que permanecerá como uma característica sua, e o sentido de discrição, por se tratar de uma opção espiritual, o que leva a não ser fácil dar listas e endereços a quem no-los solicite.  Constata-se, porém, em toda a parte este facto maravilhoso: Nossa Senhora, através dos Cenáculos de oração e de fraternidade, faz com que os seus Sacerdotes se conheçam, se ajudem, se amem como irmãos e se tornem força de coesão entre todo o clero. Pela consoladora realidade da Comunhão dos Santos, sentem-se como membros ainda ativos e até mais próximos de nós, os Sacerdotes que nos precederam na eternidade. Há Cardeais – o primeiro deles a inscrever-se foi Giacomo Lercaro, então Arcebispo de Bolonha –, muitos Bispos: lembramos entre outros Mons. João Venâncio Pereira, Bispo de Leiria e de Fátima, que se inscreveu em 1973 e morreu em 1985 e mais de 5.000 Padres que enriqueceram os seus últimos anos de vida por intenso apostolado ou pela doença, acolhendo e vivendo no MSM o convite de Nossa Senhora.  Apraz-nos lembrar, entre eles, um Servo de Deus; Pe. Gabriel Allegra, notável biblista e tradutor da Sagrada Escritura em língua chinesa. cujo trabalho final foi traduzir em chinês o livro “Nossa Senhora aos Sacerdotes, seus filhos prediletos”. Em sua rápida e capilar difusão o MSM encontrou menos dificuldades do que se podia temer. Sendo sua característica peculiar a fidelidade à Igreja e a obediência ao legítimos Superiores, onde estes, sobretudo tratando-se de Bispos, mostravam-se benévolos e encorajadores, tudo era feito com grande facilidade. Foi preciso mais paciência, onde a autoridade se nos mostrou perplexa ou indiferente. Percebe-se a presença vigilante e iluminadora de Nossa Senhora, sobretudo como guia de seu Movimento. Ela conforta nas dificuldades, freia toda euforia, ensina a usar corajosamente a liberdade dos filhos de Deus e ao mesmo tempo, impede-nos de assumir atitudes contrárias ou rebeldes com os Superiores, o que estaria em contradição com o segundo ponto-base do MSM: Amor ao Papa e a Hierarquia a ele unida. Salve Maria!
Anúncios

2 comentários sobre “O Movimento Sacerdotal Mariano

Deixe seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s