Família: vocação geradora de vocações

Imagem

 

Estive pensando: o verdadeiro José é aquele que está sempre disposto a ofertar sua Maria no Altar do Senhor, deixando-a livre para dar o seu sim a seu Deus cada vez que Ele a chamar e pedir que saia de si e dos seus projetos. É assim que se constrói um amor livre e que será fecundo, uma vez que a liberdade nos torna donos de nós mesmos, possibilitando que nos doemos ao outro, já que não posso dar aquilo que não possuo. O José não deve querer ser dono de sua Maria, deve amá-la de forma livre, sem posse.

Reconhecendo que antes de ela o amar, amou seu primeiro, único e eterno Amor, antes de provar de seu amor humano e frágil, ela amou e foi amada por um amor Divino e completo, e que depois disso, todo amor é pequeno demais e incapaz de satisfazê-la. Ela se tornou insaciável e todo amor é pequeno demais para ela. Portanto, o José deve sempre levá-la a Deus para que ela seja amada pelo seu primeiro amor, a fim de que ela esteja sempre plena e que os dois, já completos, possam se unir e viverem a plenitude do amor.

É loucura pensar que um pode saciar o outro! Não podem! A sede de amor de ambos é grande demais. O amor de ambos é limitado demais. Ambos devem estar saciados do amor Divino e serem apenas reflexo desse amor na vida um do outro. Ambos devem ter um amor livre para ofertar quando for necessário. Assim como Abrãao, por muito amar, foi livre para ofertar seu Isaac. Não podemos aceitar menos que isso! Ambos, na sua individualidade, devem se unir e, no plural, tornar-se um grito no mundo: “Nós nos amamos porque primeiro amamos o Senhor”.

A família é a vocação que gera vocações e isso é lindo. Portanto, cuidemos cada um da nossa vocação primeira: ser santo e ambos cuidem da vocação em comum: serem santos e terem uma família santa… Se assim for,nem mesmo a morte será mais forte que este amor. Com suas vidas dirão: até o fim, até que a morte nos una. Mas talvez isso seja apenas uma loucura de uma adolescente que ainda sonha com um mundo em que os prazeres de possuir não gritem mais alto do que o prazer de levar o outro ao Céu…

Anúncios

Um comentário sobre “Família: vocação geradora de vocações

Deixe seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s