Por que devemos ler?

Acredito que os livros em muitos momentos da minha vida foram grandes companheiros, nos momentos que não havia nenhum amigo, estava lá alguma personagem que com suas histórias me confortava, ou a descrição de lugares incríveis que me faziam viajar sem sair de casa. E como todo verdadeiro amigo, eles também podem ser os responsáveis pelo nosso encontro com Deus, e em muitos casos pela nossa conversão. Esse texto que eu separei, mostra o porque de toda moça católica deve ser uma fanática por bons livros, e como esses instrumentos da Divina Providência, podem nos ajudar em nossas cruzes diárias. Espero que gostem!

”É certo que muitos santos devem o início de sua vida cristã à leitura de bons livros, sobretudo as vidas dos santos. Santo Agostinho, um dia assaltado por dúvidas e pelos gritos de suas paixões que lhe faziam postergar sua conversão, ouviu uma voz que lhe dizia: “− Toma e lê”. Ele obedeceu, pois enquanto lia um capítulo de São Paulo, uma luz extraordinária se difundiu por todo o seu espírito, quando então se dissiparam todas as trevas de dúvidas e ele se converteu inteiramente ao Senhor. São João Colombino sentiu seu coração mudar com um persuasivo desejo de servir a Deus por meio de uma leitura feita de má vontade, a pedido de sua esposa. Santo Inácio de Loyola renunciou ao mundo após ler as vidas dos santos enquanto se curava das feridas recebidas no sítio de Pamplona. Seria interminável a lista de santos que se converteram ou foram tomados de fervor por meio das boas leituras.
Quem não se anima ao ver que homens e frágeis donzelas, de carne e osso como nós, auxiliados pela graça divina, conseguiram menosprezar o respeito dos homens e, abraçados à cruz de Cristo, O serviram com generosidade e constância? Desejas, portanto, animar-te ao serviço de Deus? Nos momentos livres, sobretudo nos domingos, leia algum livro devoto, especialmente a vida dos santos. Já que tuas ocupações não te permitem ir a todas as prédicas para alimentar teu entendimento com as verdades eternas, que não te impeçam, pelo menos, de nutrir teu espírito com os exemplos dos cristãos que a Igreja propõe à nossa imitação. Os bons livros são como cartas vindas do Céu que nos animam a suportar as fadigas, os incômodos e as tribulações desta vida miserável, e nos ensinam o caminho da Glória. Quem não lerá com gosto as notícias daquela pátria bem-aventurada, onde faremos parte de nossa família que já está à nossa espera? Só quem não verdadeiramente deseja a sua salvação.”

“Dia XXIV – A Leitura Espiritual”, Sestas do mês de Maio. Leituras proveitosas aos trabalhadores, de Francesc Xavier Butinyà i Hospital (1834-1899).

Anúncios

Deixe seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s