Postos em apuros, mas não desesperançados

Tightrope

 

Esse é um trecho da segunda Carta de São Paulo aos Coríntios (cf. IICor 4, 8), que me comove profundamente cada vez que leio. Nos versículos 8 e 9 desse capítulo São Paulo parece entrar na parte mais profunda de nossas almas e ali entender as batalhas mais duras que são travadas, sempre opondo-as a alguma espécie de vitória.

Somos afligidos de todos os lados, mas não vencidos pela angústia;

postos em apuros, mas não desesperançados;

perseguidos, mas não desamparados;

derrubados, mas não aniquilados.

IICor 4, 8-9

Paulo, aqui, expressa a compreensão de alguém que passou por todo tipo de dificuldade e ataque, como descreve em 2Cor 11, 23-33:

Nas fadigas, nas prisões, sob açoites, nos perigos de morte! Dos judeus recebi cinco vezes os trinta e nove açoites, três vezes fui flagelado, uma vez, apedrejado, três vezes naufraguei, passei um dia e uma noite sobre o abismo. Viagens a pé, muitas vezes, perigos dos rios, perigos dos salteadores, perigos dos meus irmãos de raça, perigo dos pagãos, perigos na cidade, perigos no deserto, perigos no mar, perigos dos falsos irmãos!

Fadigas e sofrimento, vigílias frequentes; fome e sede; jejum, muitas vezes; frio e indigência; sem contar todo o resto, a minha preocupação de cada dia, a solicitude por todas as Igrejas. Quem é fraco que eu não fique fraco? Quem cai sem que isso me queime? Se é preciso orgulhar-se, farei consistir o meu orgulho na minha fraqueza. Deus, o Pai do Senhor Jesus, que é bendito eternamente, sabe que não minto. Em Damasco, o etnarca do rei Aretas mandava guardar a cidade para me prender. Mas fizeram-me descer por uma janela, num cesto, ao longo da muralha e eu escapei de suas mãos.

IICor 11, 23-33

Paulo passou por batalhas literalmente físicas, e posso imaginar como tudo isso tentava sua alma a se desesperar. Ou seja, além da batalha física, havia ainda as batalhas espirituais causadas por todo o sofrimento e tribulações exteriores.

É a esperança de não ser vencido, mas vencer, todas essas coisas que faz o capítulo 4 tão profundo e poderoso. Isso significa que por mais duros e exaustivos que sejam os ataques, as batalhas, as provações, tribulações, no fim não seremos vencidos.

Veja, você pode identificar em sua própria vida todas as grandes batalhas, físicas e espirituais, pelas quais passou até hoje. E onde você está? Viva, e perto de Deus.

Há tanta sabedoria nesses versículos! Paulo não diz para nós o que significa não ser vencido, mas a olhar o trajeto de sua vida, desde sua conversão até sua morte, fica cristalino que a vitória de que Paulo fala é a salvação de nossas almas. A sabedoria Paulina sobre o sofrimento e as tribulações estão impressas em todas as suas cartas, e em todas elas ele nos conforta com a certeza de que todas essas coisas não nos vencerão para sempre, mas produzirão para nós um peso de glória impossível de ser mensurado.

Estamos no tempo da Quaresma, momento propício para a reflexão sobre o sofrimento, já que é quando recordamos os dias de Cristo passados no deserto sendo tentado pelo demônio e sofrendo privação de qualquer tipo de conforto.

O sofrimento atinge nossas vidas todos os dias em suas formas mais variadas e dolorosas, e foi desde sempre um assunto usado por filósofos céticos para descreditar a Religião. Mas pensar com profundidade na forma como ele é abordado e apresentado a nós nas Sagradas Escrituras traz para nós um ânimo e certeza de que não ficaremos parados no sofrimento, de que ele vem, traz desconforto e agitação, mas que não permanece e nem nos derrota para sempre, ”postos em apuros mas não desesperançados”, não ficamos órfãos de esperança, porque ainda temos em Quem esperar. Não somos lançados no vazio do desespero quando o sofrimento sobrevém, pois em última instância não seremos nunca derrotados para sempre. Você entende o que é isso?

Quando você perde alguém a quem amava profundamente, quando você adoece, quando você passa por uma frustração, quando você tem depressão, ou mesmo quando você sofre por algo causado por você mesma, você não será vencida para sempre. Você não será vencida para sempre se o Senhor Deus, Cristo Jesus, é o objeto de sua obediência e apego todos os dias de sua vida. Em última instância você não será vencida pela angústia, sua esperança não será arrancada de você, você não ficará desamparada, você não será aniquilada, ainda que por um momento todas as coisas pareçam pesar juntas sobre os seus ombros. Você não perecerá.

Não existe nenhuma força, nenhuma tendência ou esforço capazes de mudar essa sentença. A salvação chegará, e ela virá devastando com violento golpe todo o sofrimento e apagando para sempre todas as marcas de dor um dia produzidas em nós nessa vida breve. Isso nunca poderá ser impedido, diminuído ou negociado.

Somos postas em apuros, mas NUNCA desesperançadas.

Anúncios

Deixe seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s