Gracioso amor

 

13124657_782194075214404_6352697982086856499_n

Ontem mesmo estava eu na Missa, feliz pelos aprendizados preciosos que consegui absorver das leituras, do Evangelho e da Homilia do padre. Tudo que ouvi me deu tanto para pensar a respeito como parece que há muito tempo não acontecia. Eu estava tão feliz e satisfeita, conversei com Deus a respeito e voltei pra casa radiante.

Mas aí cheguei em casa e me vi cometendo um pecado bobo, evitável. Primeiro me senti uma fraude, depois triste e depois isso me deu ainda mais o que pensar. Certamente o pecado é sempre uma grande tragédia, seja ele pequeno ou grande, e é muito óbvio dizer que deveríamos sempre evitá-lo. Mas quero chamar a atenção para algo que ontem ficou cristalino para mim, o fato de que estamos sempre nos fiando em nós mesmas, em como facilmente voltamos para nós a importância das coisas.

Quando pecamos, entristecemos e ofendemos a Deus, e consequentemente a voz da nossa consciência acenderá em nossa mente o sinal vermelho. Em última instância, nosso maior medo é perder a Deus e seu amor, e aqui entra uma série de confusões em nossas mentes.

Estamos muito acostumadas com a forma humana, imperfeita, de amar. Existe dentro de nós uma tendência de achar que para sermos amadas existe algo que precisamos fazer para que isso aconteça: não errar, fazer tudo certo o tempo todo, agradar o outro, ser doce e gentil o tempo todo sem espaço para falhas, etc., etc., etc. É verdade que tudo isso contribui para que um relacionamento, de qualquer natureza, cresça saudável e santo, no entanto essas são atribuições às quais o Amor Divino não se condiciona.

Uma das características do Amor Ágape, o amor com o qual Deus nos ama, é a incondicionalidade, o que significa que as ações do outro não são levadas em conta para que ele exista.

Imagino que, assim como para mim, é familiar para você o sentimento de que destruímos o amor de Deus por nós quando pecamos. Pelo menos em primeiro momento, quando somos confrontadas com o horror de ter ofendido a Deus. Isso é tão comum e nos impacta de forma muito profunda.

É disso que falo quando digo que fazemos com que tudo seja ”sobre nós mesmas”. Nossas ações, nossos erros, ou mesmo as coisas boas que fazemos, não estão no centro das razões pelas quais Deus nos ama. Ainda que sejamos capazes de fazer coisas boas, de andar em obediência e cair muito pouco, nada é atribuído a nós mesmas. Se caímos, somos gratas ao Senhor que nos perdoa, se não caímos, somos gratas ao Senhor por ter nos poupado da queda. Nada é sobre nós.

A tristeza que preenche o nosso coração e nos atira para o remorso, ao invés do arrependimento, provém da nossa incapacidade de perceber o que é o verdadeiro Amor de Deus e o que isso significa em nossas vidas.

No livro de Jó, ele afirma que nenhum propósito de Deus pode ser frustrado. Essa é uma verdade revelada a respeito do Senhor. Nem mesmo o pecado pode acabar com o projeto de amor que Deus possui desde o início dos tempos. Ele continua a ir em frente com potência e graça. Eu acredito com muita força que até mesmo do pecado Deus tira proveito para nossas vidas, e nos leva a mergulhar em aprendizados preciosos aos quais talvez nunca pudéssemos chegar de outra forma.

Deus é Bondade, e como a própria Palavra diz, jamais daria coisas más aos seus filhos. Nós somos capazes de cometer atrocidades contra o Amor Divino, assim como somos capazes de agradar o Amor Divino, ainda assim, nenhuma dessas coisas é colocada pelo Senhor como pressuposto para nos amar.

Corresponder ao amor de alguém é próprio de quem também ama. Isso significa evitar aquilo que fere o ser amado, é expressão de sinceridade do amor que existe dentro de si, mas nunca condição para que Aquele que amou primeiro.

Precisamos aprender a lidar com o pecado sem se desesperar, pois o Senhor jamais permitiria que uma ovelha de seu rebanho se perdesse eternamente, e não sou eu quem digo isso (Cf. Lucas 15). Como disse acima, o pecado é sempre uma tragédia, uma ofensa eterna ao Deus Eterno, mas que também nos ama com Amor Eterno e nos perdoa com Perdão Eterno, que não podem ser revogados. Do meio da queda e do pecado, Deus elevou homens e mulheres ao mais alto grau, porque não deixou de amá-los apesar disso. Ele continua o mesmo, ainda hoje.

Se a cada queda nos comprometermos a ir para o confessionário na primeira oportunidade, e fortalecer em nossas mentes as verdades a respeito de Deus, estaremos fazendo a coisa certa. Nada é sobre nós, nem sobre nossa capacidade de cair ou ficar de pé. Tudo é sobre Deus, e o que Ele pode e deseja fazer conosco. E Ele é Deus o suficiente para fazê-lo, e fazê-lo da melhor forma possível.

 

Anúncios

2 comentários sobre “Gracioso amor

  1. QUE LINDO! PEÇO HUMILDEMENTE A DEUS QUE EU REALIZE A SUA VONTADE, APESAR DA MINHA PEQUENEZ. TUDO É DELE, PARA ELE E POR ELE. A DEUS, TODA GLÓRIA, TODA HONRA PELOS SÉCULOS. QUE DEUS ABENÇOE INFINITAMENTE E QUE NOSSA SENHORA E SÃO JOSÉ PROTEJAM SEMPRE.

    Curtir

Deixe seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s